);
Widget Image

Atendimento especializado e descomplicado em Medicina do Sono e Neurologia. Dormir bem é algo essencial para ter qualidade de vida.

Agende uma consulta clicando aqui!

Últimas postagens

HORÁRIO DE ATENDIMENTO: 08:00 - 17:00
ESTAMOS EM: MANAUS
CONTATO: (92) 99901-5080 / (92) 99192-3240 / (92) 3659-3240
SIGA-NOS:
 

INFECÇÕES DO SISTEMA NERVOSO

As infecções do sistema nervoso central são extremamente sérias. A meningite afeta as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A encefalite afeta o próprio cérebro.

  • As infecções do sistema nervoso central causadas por vírus podem causar meningite e encefalite.

  • Os sintomas em geral começam com febre e podem progredir para irritabilidade, recusa de comer, dor de cabeça, dor no pescoço e, às vezes, convulsões.

  • O diagnóstico de infecções virais do sistema nervoso central se baseia em uma punção lombar.

  • Muitas infecções são leves, mas outras são graves e podem causar a morte.

  • Geralmente, os medicamentos antivirais não são eficazes no tratamento de infecções do sistema nervoso central; assim, as crianças precisam receber medidas de suporte (como, por exemplo, medicamentos para controlar a febre e a dor e ingerir bastantes líquidos).

INFECÇÃO DO S N C As Meninges Figure 22.2

Os vírus que infectam o sistema nervoso central (o cérebro e a medula espinhal) incluem os vírus do herpes (ver também infecções pelo vírus do herpes simples), arbovírus, coxsackievírus, ecovírus e enterovírus (ver também infecções por enterovírus). Algumas dessas infecções afetam primariamente as meninges (os tecidos que recobrem o cérebro e a medula espinhal) e resultam em meningite. A meningite viral é algumas vezes chamada de meningite asséptica. Outras infecções afetam principalmente o cérebro e resultam em encefalite. As infecções que afetam tanto as meninges quanto o cérebro resultam em meningoencefalite. A meningite é muito mais frequente nas crianças do que a encefalite.

Os vírus afetam o sistema nervoso central de duas formas:

  • Eles podem infectar e destruir diretamente células do sistema nervoso central durante a fase aguda da doença.

  • A resposta imunológica à infecção algumas vezes causa danos às células que rodeiam os nervos depois que as crianças se recuperam da infecção.

Esses danos posteriores (encefalomielite pós-infecciosa ou encefalomielite disseminada aguda) normalmente causam sintomas algumas semanas após a recuperação da fase aguda da doença.

As crianças adquirem infecções do sistema nervoso central por meio de várias vias. Os recém-nascidos podem desenvolver infecções pelo vírus do herpes através do contato com secreções infectadas no canal do parto. Outras infecções virais são adquiridas ao respirar ar contaminado com vírus contido nas gotículas exaladas por uma pessoa infectada. As infecções por arbovírus são adquiridas através das picadas de insetos infectados (chamadas de encefalite epidêmica).

Os sintomas e o tratamento da meningite viral e da encefalite em crianças mais velhas e adolescentes são similares aos dos adultos. O fato de que os bebês não têm a capacidade de comunicar-se diretamente faz com que seja difícil compreender seus sintomas. No entanto, os bebês com infecções do sistema nervoso central têm geralmente alguns dos sintomas descritos a seguir.

Sintomas

Em geral, as infecções virais do sistema nervoso central nos recém-nascidos e nos bebês iniciam-se com febre. Os recém-nascidos podem ter outros sintomas e podem de início não parecer de resto doentes. Bebês com mais de aproximadamente um mês de idade normalmente ficam irritáveis e difíceis e se recusam a comer. Os vômitos são frequentes. Às vezes a área macia no topo da cabeça de um recém-nascido (fontanela) se torna saliente, o que indica um aumento da pressão sobre o cérebro. Visto que a irritação das meninges piora com o movimento, bebês com meningite podem chorar mais, em vez de se acalmarem, quando alguém os pega no colo e são embalados. Alguns bebês manifestam um choro agudo estranho. Os bebês com encefalite costumam ter convulsões ou outros movimentos anormais. Os bebês com encefalite grave podem ficar letárgicos e comatosos e morrer.

Uma infecção pelo vírus do herpes simples, que costuma se concentrar em uma única parte do cérebro, pode dar origem a convulsões ou fraqueza que surgem somente em uma parte do corpo ( Algumas infecções dos recém-nascidos). Um bebê com encefalite por vírus do herpes simples pode também ter uma erupção cutânea na pele, nos olhos ou na boca. A erupção cutânea consiste de manchas vermelhas com bolhas cheias de líquido que formam crostas ou feridas antes de cicatrizarem.

encefalomielite pós-infecciosa pode causar muitos problemas neurológicos, dependendo da parte do cérebro que sofreu o dano. As crianças podem apresentar fraqueza num braço ou numa perna, perda da visão ou audição, alterações no comportamento, deficiência intelectual ou convulsões recorrentes. Alguns desses sintomas são notados imediatamente. Outros sintomas podem não ser notados até mais tarde, por exemplo, quando a criança realiza exames rotineiros de audição, visão e/ou inteligência. Muitas vezes, os sintomas se resolvem com o tempo; mas às vezes são permanentes.

Diagnóstico

  • Punção lombar

Os médicos se preocupam com a possibilidade de meningite ou de encefalite num recém-nascido com febre, bem como em bebês mais velhos, crianças e adolescentes que apresentem febre, estejam irritáveis ou que não estejam de resto agindo normalmente. Para fazer o diagnóstico de meningite ou o diagnóstico de encefalite, os médicos fazem uma punção lombar para coletar o líquido cefalorraquidiano (LCR) para ser submetido a análise laboratorial. Nas infecções virais, o número de glóbulos brancos fica elevado no LCR, mas não se observam bactérias. Exames imunológicos podem ser realizados para detectar anticorpos contra vírus em amostras de LCR, mas estes exames demoram dias para serem concluídos. As técnicas da reação em cadeia da polimerase (do inglês “Polymerase chain reaction”, PCR) estão à disposição para identificar mais rapidamente o vírus do herpes simples e os enterovírus no LCR.

Pode ser realizado um exame das ondas cerebrais (eletroencefalograma) para ajudar a diagnosticar a encefalite causada pelo vírus do herpes. Exames de imagem por ressonância magnética (RM) e tomografia computadorizada (TC) podem ajudar a confirmar o diagnóstico, especialmente em casos de encefalomielite pós-infecciosa.

Prognóstico

O prognóstico varia amplamente com o tipo de infecção. Muitos tipos de meningite e encefalite virais são leves e a criança se recupera completa e rapidamente. Outros tipos são graves.

A infecção cerebral pelo vírus do herpes simples é especialmente grave. Sem tratamento, aproximadamente 50% dos recém-nascidos com infecção cerebral pelo vírus do herpes simples vêm a falecer e dois terços dos sobreviventes apresentam lesões cerebrais graves. Mesmo com tratamento, aproximadamente 25% vêm a falecer e até metade dos sobreviventes apresentam lesões cerebrais. Se a infecção por herpes envolver outras partes do corpo, assim como o cérebro, a mortalidade atinge 85%.

Tratamento

  • Manter o bebê confortável

  • Medicamentos para febre ou convulsões

  • Para encefalomielite pós-infecciosa, corticosteroides ou outros medicamentos

A maioria dos bebês precisa apenas de cuidados de suporte. Isso é, eles precisam ser mantidos aquecidos e devem tomar bastantes líquidos e medicamentos para tratar a febre ou convulsões. Os medicamentos antivirais não são eficazes na maioria das infecções do sistema nervoso central. No entanto, as infecções causadas pelo vírus do herpes simples podem ser tratadas com aciclovir administrado por via intravenosa.

A encefalomielite pós-infecciosa pode ser tratada com corticosteroides ou outros medicamentos que reduzem a resposta imunológica que causa as lesões neurológicas.

Fonte: https://www.news-medical.net